Passar para o conteúdo principal

Medição de radão
Locais de trabalho
Prevenção e remediação
Campanha de monitorização
Mapa de suscetibilidade
Plano nacional para o radão

 

Locais de trabalho

De acordo com o quadro legal em vigor, as entidades empregadoras têm obrigatoriamente que proceder à avaliação da exposição ao radão dos trabalhadores.

A forma de identificação de situações de exposição de trabalhadores ao radão no interior dos edifícios é pela sua deteção/medição. A APA recomenda que a monitorização inicial ao radão no interior de edifícios seja efetuada recorrendo a detetores passivos por um período não inferior a 3 meses e até 1 ano. Desta forma fica assegurado que o valor de concentração de radão obtido é comparável com o valor de referência nacional, 300 Bq/m3.

Para a medição da concentração de radão recomenda-se que, por uma questão de controlo e garantia de qualidade, se recorra a empresas/laboratórios acreditados para este tipo de monitorização.

As zonas localizadas nos pisos térreos e inferiores que estão ocupadas por trabalhadores durante o decurso da sua atividade profissional devem ser selecionadas para monitorização. A entidade empregadora deve usar quantos detetores de radão forem necessários para caracterizar as áreas ocupadas. Nos edifícios de vários andares as medições são feitas no piso térreo e inferiores recorrendo às indicações da tabela, e nos andares superiores recomenda-se a colocação de pelo menos um detetor em cada um dos pisos de forma a serem representativos dos trabalhos neles localizados. Em locais/divisões com pouca ou nenhuma ocupação como corredores, casas de banho, arquivo, entre outros, não é necessário efetuar medições. As densidades mínimas recomendadas de monitorização são as descritas na tabela:

Tipologia

Número de detetores

Exemplos

- Escritórios individuais ou pequenos

- Salas de aula

Um por cada 100 m2

Geralmente corresponde a metade ou a 1/3 de todas as divisões do r/c

Bancos, escolas, lojas pequenas

- Escritório em espaços abertos

- Lojas de retalho ou oficinas até 1000 m2

- Áreas de acesso público

Um por cada 250 m2

Centros administrativos e de atendimento, indústria leve, hotéis, bibliotecas

- Como o ponto anterior até 5000 m2

Um por cada 500 m2

Grandes lojas de retalho

- Áreas extensas de vários milhares de m2

Um para cada área distinta com condições ambientais obviamente diferentes, não inferior a 1 por 1000 m2

Instalações industriais

- Caves

- Edifícios com andares abaixo do solo

Um em cada sala, secção ou área separada, independentemente do tamanho, se ocupada mais de 50 horas por ano

Parques de estacionamento, Escritórios, armazéns, outros

- Instalações subterrâneas

Pelo menos um em cada área de trabalho principal e outras áreas normalmente ocupadas, devendo ser avaliado caso a caso por um técnico especializado

Minas, grutas turísticas, tuneis